Biodiversidade marinha na Guiana Francesa As perspectivas para o futuro

OS DESAFIOS DA BIODIVERSIDADE MARINHA
Com 11 milhões de quilómetros quadrados, a França tem a segunda maior superfície marítima do mundo. Ela está presente nos quatro oceanos diferentes: Atlântico, Pacífico, Austral e Índico. 97% desta superfície estão localizadas em além-mar, da qual a metade na Polinésia Francesa. A Biodiversidade marinha é excepcionalmente rica em todos os territórios ultramarinos, com um mosaico de meios tão extraordinários como maravilhosos. Essa riqueza será destacada em 2011 que será o ano do ultramar. Para preservar e valorizar esta riqueza, alguns territórios ultramarinos se equiparam com ferramentas de gestão do ambiente marinho e, em especial, das áreas marinhas protegidas ou dispõem de um selo internacional. Fundada em 2006, a Agência de áreas marinhas protegidas é uma instituição pública dedicada à proteção do meio marinho. No Oceano Índico, o primeiro parque marinho natural ultramarino foi criado em Mayotte em 2010 para preservar a biodiversidade marinha e apoiar o desenvolvimento sustentável das atividades marítimas. As Ilhas gloriosas poderão ser o segundo parque natural marinho ultramarino, já que uma missão de estudo acaba de ser lançada. A maior reserva da França a das Terras austrais francesas. Na ilha da reunião, a reserva natural marinha protege em parte seus corais. Em Nova Caledónia, os recifes de corais foram inscritos na lista do Património Mundial da UNESCO. Para o período 2011-2021, a Polinésia ...

Nos lecteurs ont lu ensuite

Il vous reste 88% de l'article à lire.
La suite est réservée à nos abonnés.
Vous avez déjà un compte ou un abonnement ? Se connecter
Souhaitez-vous lire cet article gratuitement ?
Créer un compte

Vous préferez lire Boukan en illimité ?
Je m'abonne
Logo payement
X
Le téléchargement des PDF des numéros n'est pas inclus dans votre abonnement
Envie de télécharger ce numéro au format digital ?

L'intégralité des articles et les PDF pour 29€ par an
Je m'abonne
Logo payement